A Respeito da Aliança

 

Acaso poderia Aquele que é eterno se arrepender da Aliança que fez?
Sendo Ele eterno, ou seja, acima da dimensão do tempo, como poderia interromper uma Aliança para fazer outra supostamente melhor?
Ou ainda, faria o Eterno alianças diferentes com dois povos diferentes? E quando houvesse controvérsia entre os dois povos e entre as duas alianças, de que lado ficaria יהוה?

Perceba: segundo o que é afirmado no Texto Sagrado, יהוה é um, um é o Seu nome, uma é a Sua aliança, um é o povo que Ele escolheu para ser chamado pelo Seu nome.
Que fique claro, límpido como a água da fonte: יהוה é Aquele que foi, que é e que será, Eterno, e portando não precisa ficar se adaptando, se aperfeiçoando. Tudo quanto já aconteceu, o que está acontecendo e o que há de acontecer está diante Dele como um quadro, como uma única fotografia – Bendito seja o Altíssimo. Haleluia!

Está afirmado na Torah (Lei) e nos livros dos profetas que a Aliança e os preceitos são eternos. Devem ser observados de geração em geração. Devem ser observados pelos filhos dos filhos dos filhos… até a consumação dos séculos.
Caso esta afirmação fosse duvidosa, caso יהוה houvesse mudado algo que Ele falou que é eterno, então todo o Texto Sagrado perderia Seu crédito, seria então uma coleção de livros contendo estórias mitológicas e o Senhor ao invés de Criador dos céus e da Terra, passaria a ser mais um deus dentre tantos outros. Este na verdade é o esforço das trevas na tentativa de convencer os homens que o Texto Sagrado entregue a Israel não passa de mais uma mitologia, como as contadas entre as nações.
No entanto, qualquer que seja o mito, por mais impressionante que seja, não há estória ou relato que se compare a tudo que é relatado nas Sagradas Escrituras. A profecia se cumpre dia após dia e nada jamais se perderá.
“Passarão os céus e a Terra mas Minhas Palavras não passarão.”
Dentre todos os povos de todas as épocas jamais se contará estória como a de Israel, que recebeu através de Mosheh (moisés) um texto escrito em duas tábuas de pedra. Ora, este Texto não foi escrito por homem algum, este Texto foi escrito pelo dedo de Elohim (Deus). Tal é a santidade, que não foi permitido ao profeta que ele ouvisse as palavras e então escrevesse, mas o Texto foi gravado em duas tábuas de pedra pelo Autor, com Seu próprio dedo.
“Tendo יהוה acabado de falar a Mosheh sobre o monte Sinai, entregou-lhe as Tábuas do Testemunho, as tábuas de pedra, escritas com o dedo de Elohim.”
Observem quão sagrada é a língua na qual יהוה escreveu nas pedras. Hebraico. Língua santa.

Agora que está claro que a Aliança do Eterno é Eterna, veremos que a vinda de Mashiach (Messias) não foi para abolir nenhum mandamento nem tampouco instituir nada diferente do que já havia sido instituído.
Mashiach veio renovar a Aliança Eterna de יהוה. Como alguém que passa em um anel um pano molhado com algum produto específico para revitalizar metais. Então o anel que havia ficado fosco com passar do tempo, volta a ter o mesmo brilho de quando ele foi forjado.
Veremos agora que a revitalização da Eterna Aliança é simbolizada na Torah.
Acompanhe: Mosheh subiu por ordem de יהוה ao monte Sinai. Vendo o povo de Israel que Mosheh demorava a retornar e pensando que ele havia desaparecido, se corrompeu e voltou a praticar a idolatria aprendida no Egito. יהוה então diz a Mosheh que retornasse ao povo , pois ele havia se corrompido. Mosheh então desce a montanha com as duas tábuas de pedra nos braços e quando vê o povo adorando uma imagem de escultura feita de ouro, quebra as duas tábuas escritas pelo dedo de Elohim na base do monte. Após Mosheh exortar o povo e punir os instigadores da rebelião, sobe novamente ao monte Sinai afim de implorar יהוה que perdoasse a transgressão do povo. Mosheh implora יהוה que marche Ele mesmo à frente do povo rumo à terra prometida. Mosheh então talha duas tábuas de pedra semelhante as primeiras e יהוה escreve nelas as mesmas palavras que estavam escritas nas tábuas de pedra que Mosheh quebrou.
יהוה disse a Mosheh: talha duas tábuas de pedra semelhantes as primeiras; escreverei nelas as palavras que se encontravam nas primeiras tábuas que quebraste.”
“Mosheh ficou junto de יהוה quarenta dias e quarenta noites sem comer pão nem beber água. E Senhor escreveu nas tábuas o Texto da Aliança, as dez palavras.”
Ao partir do monte Horeb, os israelitas despojaram-se de seus enfeites e יהוה marchava no meio deles.
Este portanto é o resultado da renovação da Aliança: יהוה passou a marchar entre o povo.
O Senhor Iehoshua – bendito seja – renovou a Eterna Aliança fazendo-se homem e experimentando a morte. E o resultado disso é que יהוה passou a marchar entre nós. Seu Espírito Santo nos orienta constantemente.
Por isso é que está escrito: “Tudo aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor falou pelo profeta: Eis que uma virgem conceberá e dará luz um filho, e chamará seu nome Imanuel”
Que fique claro: o ensinamento de Messias é para que se observem os preceitos de Adonai. Que estudem as Suas Palavras. Que se dediquem a Elas não por obrigação mas por amor, sincero e verdadeiro. Que vivam humildemente. Que percebam que Ele, Iehoshua é justo diante do pai e não há outro. Pois só Ele procede do Pai e do Pai recebeu todas as coisas.
Eterna é a Aliança de יהוה com Israel. Todo aquele pois que nasce do Espírito Santo é integrado a Eterna Aliança.
O filho de Elohim veio trazer aos homens de boa vontade, entendimento que lhes faltava. Porque a Torah é santa.
Com o entendimento que Messias nos dá, compreendemos que não podemos julgar os outros pois somos tão falhos quanto eles. Devemos pois julgar a nós mesmos. Não podemos exercer justiça pois somos injustos. Cabe-nos então perdoar e confiar em יהוה.
Eis as Palavras do Mestre: “Não julgueis que vim abolir a Torah ou os profetas. Não vim para abolir, mas sim para levá-los à perfeição. Pois em verdade vos digo: Passará os céus e a Terra antes que desapareça uma letra ou um sinal da Torah.”
“Amarás יהוה teu Elohim de todo coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito. Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este é: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Nesses dois mandamentos se resumem toda a Torah e os profetas.”

contact@comentarioasescrituras.com